Topo


Sooner or later...




"Lágrimas não significam que você está perdendo, qualquer um se machuca."

-Jessie J  (via jpestanizando)

(Fonte: criteriorizar)


4.170 notas ∞ Reblog Há 9 meses

(Fonte: itspartyrehab)


19.773 notas ∞ Reblog Há 9 meses

133.267 notas ∞ Reblog Há 9 meses

(Fonte: artedeexpressar)


8.115 notas ∞ Reblog Há 9 meses

"Ela era a minha melhor amiga. A considerava como uma irmã mais nova por sua idade. Eu sempre errei com ela, sempre colocava a minha namorada, que hoje é ex, á frente dela. Se fosse para escolher, eu não a escolheria. Se fosse para defender, eu não a defenderia. Mas ela ainda insistia de gostar de mim. Lembro que ela namorava, e eu tinha um pouco de raiva do namorado dela. Eles ficavam bonitos juntos, mas eu não admitia. Na verdade, eu estava pouco me fodendo pra quem ela escolheria pra ficar ou seja lá o que ela queria fazer. Todo dia ela me vinha com algo diferente, ou era uma história nova, ou uma música, ou ela. Exato, ela mudava todos os dias. Me chamava de idiota, e depois dizia que eu era a sina dela. Ela dizia que queria conhecer minha família, e sempre se magoava quando eu falava que minha irmã não gostava dela. Já a presenciei imaginando idas a minha casa, conversas com a minha irmã, jantares com meu pai, compras com minha mãe, filmes comigo. Cansei de vê-la sorrindo por minha causa. Era um saco quando ela me mandava mil mensagens antes de dormir. Mas ela era uma melhor amiga excelente, estaria do meu lado pro que der e vier. Não se importava de perder o primeiro tempo de aula, para ficar comigo até as quatro da manhã por eu dizer que não estava conseguindo respirar. Ela me escreveu cartas, me deixou bilhetes, me mandou mensagens. Ela se preocupava comigo, com minha saúde. Era uma das poucas pessoas que realmente queria saber o que eu havia feito no dia. Toda noite ela me ligava, falava baixinho para a mãe não descobrir. Entrou em desespero quando falei que eu precisava de cirurgia. Entrou em choque quando falei que estava de castigo e ficaria sem celular. Ela fazia de tudo pra me agradar, já deixou o namorado de lado umas mil vezes, pra falar comigo. Era só eu falar que estava com dor de cabeça, que ela já me perguntava se eu havia andado chorando. Aquela filha da puta de cabelos claros me conhecia como ninguém mais. E eu não dei valor, ou não soube dar. Ela tinha um mini-blog e tudo o que ela postava era pra mim, dava para perceber. Teve uma vez também, que ela me apresentou a mãe dela. Era como se fosse uma realização dela. Ela corria atrás de mim, não demorava trinta segundos para me responder quando eu mandava mensagens. Já passei dias e dias conversando com ela. Ela me contava tudo, desde o primeiro beijo até a dor de barriga que teve noites atrás. Ela se fazia de super herói, mas queria mesmo era ser princesa. Se elogiava sempre que tinha chances. E eu? Idiota mandei a parar de fazer isso, porque eu queria a elogiar também. Mas não deu em nada, nunca cheguei e disse o quanto ela era linda. Passou dias e ela continuava a mesma rotina, ela corria atrás de mim. Ela me amava, essa era a verdade. Me queria muito mais como melhor amigo, ela estava perto. Podia vir me ver sempre que quisesse, mas eu não dei valor. Só havia como mais uma. Novamente, eu pouco me fodia pros sentimentos dela. A via como uma mimada, metida a besta que queria me ter só por estar acostumada a ter todos os caras que ela quisesse ter, na hora que quisesse também. Então eu não ligava mesmo. Passou mais de uns quatro meses e ela continuava a correr atrás, até que um dia acordei e não tinha nenhuma das dez mensagens dela no meu celular. Achei estranho, mas foda-se. Continuei a minha vida, eu tinha uma namorada, e eu pegava quem eu quisesse também. Passou duas semanas e algumas coisas mudaram. As coisas não estavam fáceis, ela não me respondia. E quando respondia, era seca. Não era mais a minha melhor amiga. Eu comecei a me afetar, mas nada que me magoasse. Foi passando uns dias e eu não procurei mais, ela não mandava mensagens e eu muito menos. Eu continuei a minha vida, as vezes a via em minha rede social, umas fotos, outras frases, apenas. Nenhuma me mostrava infelicidade da parte dela. Descobri por meio de amigos em comum que ela não bebia fazia um mês. Que não estava mais naquele mundinho que eu achava que ela vivia. Passou dois meses e nada da gente se falar. Eu havia terminado meu namoro, meus pais estavam diferentes comigo, passei a ir mal na escola. Vieram me falar que ela ainda estava namorando com o mesmo idiota. Eu me surpreendi, ela nunca foi de ficar mais do que quatro meses com alguém, e ela já estava com ele faziam sete meses. Depois comecei a beber, bebia como eu nunca tinha bebido, eu não era disso, sempre dei exemplo pra ela. Fiquei na minha, não a mandei mensagem. Nada mesmo. Numa sexta-feira, fui ao shopping com minha irmã mais velha e ela, do nada, me perguntou sobre minha melhor amiga. Eu contei a história resumidamente. Mudamos de assunto, rimos, compramos. Até que no meio de um brincadeira, ela apontou para uma menina loira e me perguntou o que eu falaria se fosse ela ali. Eu ri e apenas disse que não faria nada, apenas a beijaria. Rimos e quando fomos nos aproximando, a menina loira virou. E era ela. Acredita? Era a minha melhor amiga. Ou ex. Eu fiquei paralisado, deixei as sacolas de compra cair no chão e fiquei a encarando. Ela de primeiro, não me reconheceu. Mas depois que fiquei olhando paralisado para ela, ela educada como sempre, sorriu. Até que percebeu que era eu e fechou aquele sorriso que eu nunca tinha percebido, mas que era lindo. Eu não conseguia pensar em mais dela, ela estava linda. Queimada de sol, suas bochechas estavam vermelhas e seus cabelos nunca estiveram claros como estavam ali. Ela veio na minha direção, sem falar nada, eu abri os braços no intuito dela me abraçar, mas ela ao chegar perto de mim, virou o rosto, olhou para o lado e seguiu em direção a um garoto. Era o namorado dela, aquele mesmo que eu considerava um baita de um idiota. Ele a beijou, deram as mão e continuaram a passear no shopping. Eu fiquei ali parado, até minha irmã me ajudar a pegar as coisas. Nos sentamos e eu logo peguei meu celular, mandei uma mensagem para ela. Mensagem idiota, disse que estava com saudade. Ela demorou para responder, e quando respondeu, apenas disse que aquilo já não era problema dela. Encarei o celular por horas, e pela primeira vez chorei na frente da minha irmã. Doeu tanto ler aquilo, que quando me toquei, eu estava apaixonado por ela. Me senti o cara mais idiota do mundo. Senti inveja do namorado dela. Lembrei das vezes que era ela, mandando mensagens dizendo que estava com saudade. Eu não sabia como, mas a minha vida desandou sem ela. Só que agora, era tarde demais para tentar qualquer coisa com ela."

-Então se liga, porque o amor da tua vida pode tá mais perto do que você imagina. E pode ter certeza, que quando for tarde, dar valor não vai mais adiantar, notrecall. (via jpestanizando)
2.899 notas ∞ Reblog Há 9 meses

"Mas tô me divertindo, ué. Não é isso que mandam a gente fazer? Quando a gente chora e escreve aquele monte de poesia profunda. Quando a gente se apaixona e tudo mais e enche o saco dos amigos com aquela melação toda. Não fica todo mundo dizendo pra gente parar de tanto drama e se divertir? Tô só obedecendo todo mundo."

-Tati Bernardi.   (via adoecida)
8.842 notas ∞ Reblog Há 12 meses

(Fonte: burberryinstagram)


12.110 notas ∞ Reblog Há 12 meses

15.984 notas ∞ Reblog Há 12 meses

(Fonte: querida-sophia)


16.297 notas ∞ Reblog Há 12 meses

(Fonte: deixa-o-vento-soprar)


72.678 notas ∞ Reblog Há 12 meses
1 2 3 4 5 »
Theme By: Heloísa Teixeira
Base By: Jahrenesis
Theme By: Heloísa Teixeira